Rua de Paris num dia de chuva.

O pintor francês Gustave Caillebotte, fora durante muito
tempo um artista desconhecido, embora sua produção abarque
umas 500 obras com mais de cem retratos, interiores
bodegones, paisagens e obras de grande formato inspiradas na
vida urbana. Caillebotte, amigo e mecenas dos impressionistas
que comprara seus quadros a Monet, por exemplo lhe comprara
18 obras, quando ninguém estivera disposto a fazer-lho,
também compartira com eles as paredes da exibição, sem vender
nenhuma peça, já que a diferencia de seus colegas possuía um
grande fortuna herdada pelo que suas obras depois de sua
morte permaneceram dentro de sua família. Em 1950 a família
começou a vender algumas obras de Caillebotte e foram
organizadas pelos historiadores as primeiras exposições nos
Estados Unidos.

A obra mostra uma encruzilhada das ruas de Paris numa tarde
de inverno, uma grande avenida e monumentais fachadas em
perspectiva. Na rua protegidos pelos guarda chuvas o artista
capta elegantes transeuntes.
Caillebotte procedente de uma família de grande fortuna,
tinha estudado direito na sua juventude e tinha sido aluno do
pintor acadêmico Léon Bonnat, inconformado com uma arte que
considerava ultrapassada Caillebotte juntou-se a ao grupo de
Renoir, Degas, Monet, Pissarro e Alfred Sisley em procura da
luz viva e participara com eles na segunda exposição do grupo
em 1876 e na terceira em 1877 na que fora exibida junto a
outras peças “Rua de Paris num dia de chuva” , e na que
chamara a atenção de críticos como George Rivière que
reconhecera nele “…un osado investigador en el que tenemos
puestas fundadas nuestras esperanzas”.
Caillebotte, trás a morte de seu irmão menor em 1876, fizera
seu próprio testamento deixando sua coleção de
impressionistas ao estado francês reconhecendo seu valor e
assegurando-lhe um espaço digno de permanência ao proibir sua
exibição até que o publico não fora capaz de apreciar-lho, no
legado constava apenas uma obra de Caillebotte “Los pulidores
del parquet” que fora incluída por Renoir redator do
testamento já que o pintor se negara por modéstia a incluir
sua produção na de seus colegas que tanto admirara.
A obra mostra no fundo a “rue de Turin de esquerda a direita
atravessada pela rue de Moscou que conduz a rue Clapeyron;
ponto de cruze hoje conhecido como praza de Dublin e se
encontra próximo a estação ferroviária Saint-Lazare. Este
retrato da cidade de C

Artista

CAILLEBOTTE, Gustave (18481894)

Data

1877

Local

Chicago, Art Institute

Medidas

212 x 276 cm.

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

1350 - A Vida Urbana (A Via e os Espaços Públicos) ; 1343 -
Reformas urbanas e obras de engenharia

Autor

Arnaldo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *