Revoada de pombos

“Trata-se da vista que Visconti (1866-1944) tinha da sacada
dos fundos do seu atelier, que ele mandou construir em 1908,
sobre o terreno situado à Rua Mem de Sá, no Rio de Janeiro,
próximo aos Arcos da Lapa, adquirido da escultora Nicolina
Vaz de Assis.

O atelier ficava no segundo andar do edifício que tinha,
ainda, no primeiro pavimento um apartamento, onde o pintor
morou com a família durante o ano de 1909, e no térreo, duas
salas para alugar. Da sacada da frente, Visconti avistava o
Morro de Santa Teresa com sua igreja, que o pintor retratou
diversas vezes; e da sacada dos fundos, ele tinha uma vista
privilegiada do Morro de Santo Antônio, palco da Revoada de
pombos, que inspirou esta pintura.

É muito provavelmente um estudo da parte superior central,
levemente à esquerda, de uma composição maior, Pombos do meu
atelier (1927). Embora o tom azulado, efeito da atmosfera
presente nesta obra, não se veja em Revoada de pombos, é
possível distinguir nas duas pinturas: os mesmos dois
pinheiros; a edificação à sua esquerda; os arbustos
coloridos entre ela e o telhado da construção em primeiro
plano; o cume do morro ao fundo; e ainda os pombos e o cano
sobre o telhado. Parece apenas que as vistas foram tomadas
de ângulos ligeiramente diferentes.

Revoada de pombos participou da exposição Retrospectiva de
Visconti, em 1949, no Museu Nacional de Belas Artes, quando
pertencia ao patrimônio do Ministério da Educação e Saúde;
da Sala Especial Eliseu Visconti na II Bienal de São Paulo,
em 1953/1954, agora do patrimônio do Ministério da Educação
e Cultura; e do 17º Salão Paranaense de Belas Artes,
inaugurado em 19 de dezembro de 1962, em Curitiba, numa sala
especial dedicada a Visconti. Após o término do salão, as
obras de Visconti ficaram expostas, juntamente com o acervo
do Museu de Arte do Paraná, por todo o primeiro semestre de
1963.

Na exposição Retrospectiva, organizada cronologicamente,
essa pintura foi colocada em penúltimo lugar entre os óleos,
considerada uma das últimas realizações da carreira de
Visconti, por sua fatura moderna. Porém, ela aparece na foto
de Visconti em seu atelier da Ladeira dos Tabajaras,
publicada em O Jornal, em 1926. Também por essa data,
anterior à criação da composição maior, pensa-se em um
estudo, embora possa ser apenas uma tomada de um detalhe da
mesma vista.

Dos registros do museu consta que Revoada de pombos foi
adquirida de Cecília Ferreira de Oliveira Fontes, por verba
orçamentária, sem indicação da data. No entanto, a pintura
encontra-se no Palácio da Alvorada, em Brasília, na parte
restrita da residência presidencial, para onde foi levada,
segundo a etiqueta do MNBA em seu verso, para uma exposição
permanente, pelo período de dois anos, através de um
convênio de fevereiro de 1991, que vem sendo constantemente
renovado, desde então.

Por ocasião da retrospectiva de 1949, Antonio Bento escreve:
“”Este é um quadro moderno na fatura, como nos seus valores
plásticos. E é certamente pintura pura, podendo a composição
ser assinada pelo mais ortodoxo dos abstratos. É apenas um
jôgo de cores da maior pureza. Só um grande pintor seria
capaz de fazer êsse quadro””.

Mirian N. Seraphim
13/01/2012

Bibliografia:
1926 – A. Costa, Na intimidade dos nossos artistas. O
Jornal, Rio de Janeiro, 11 jul.
1953 – Catálogo Geral da II Bienal do Museu de Arte Moderna
de São Paulo, dez 1953 a fev 1954.
1949 – Exposição Retrospectiva de Elyseu D´Angelo Visconti.
Catálogo de exposição. Rio de Janeiro. Museu Nacional de
Belas Artes e Ministério de Educação e Saúde.
1949 – A. Bento, A Retrospectiva Visconti. Diário Carioca
(As Artes), Rio de Janeiro, 20 nov., p. 6.
1954 – Exposição Retrospectiva de Visconti. II Bienal do
Museu de Arte Moderna de São Paulo. Catálogo de Exposição.
São Paulo: Dep. de Imprensa Nacional/Studio Gráfico Brasil.
1962 – Salão do Paraná – Ano do Cinqüentenário da
Universidade. Catálogo de Exposição. Curitiba: MAC.
2008 – M. N. Seraphim, Eros adolescente: No verão de Eliseu
Visconti. Campinas: Autores Associados (Coleção Florada das
Artes), pp. 10, 275.
2010 – M. N. Seraphim, A catalogação das pinturas a óleo de
Eliseu d´Angelo Visconti: o estado da questão. Tese de
Doutorado. Campinas: IFCH Unicamp.”

Artista

VISCONTI, Eliseu d´Angelo

Data

1926

Local

Brasília, Palácio da Alvorada / Museu Nacional de Belas Artes

Medidas

73 x 50 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

O SÉCULO XX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL

Index Iconografico

1332 - A janela e a vista da janela; 1601 - Paisagem com
arquiteturas e figuras; 1620 - Animais e animalismo; 1623 -
Os pássaros

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *