Túmulo de Manuel Ferraz de Campos Salles (Imagem 2, detalhe)

(continuação do texto que acompanha a imagem 1)

A obra foi alterada quando a viúva do político pediu ao
escultor que substituísse a estátua de Campos Salles pela
figura da República, em atitude de quem espalha flores sobre
o sarcófago e com coroas ou palmas nas mãos. A nosso ver,
nesse momento o artista recuperou, para compor a imagem
feminina do monumento, uma ilustração de Agostini feita como
uma homenagem fúnebre a Saldanha Marinho.

A encomendante solicitou ainda que Bernardelli fizesse um
medalhão sobre o sarcófago com o retrato do estadista e que,
no lugar da figura da Lei, criasse uma representação
alegórica das Finanças. Posteriormente, um documento do
escritório de Ramos de Azevedo informava que o sarcófago
seria realizado em granito róseo, sobre base e piso de
granito claro. A parede ao fundo teria painéis em mármore e
em granito róseo.

As figuras foram fundidas em bronze devido à dificuldade de
importação de mármores ocorrida com a Primeira Guerra
Mundial.

O túmulo de Campos Salles pode ser visto como um monumento
cívico e foi por muito tempo local de homenagens públicas.
Nos dizeres presentes nos painéis foi reforçada a memória de
sua atuação em favor da República, tanto como propagandista
do novo regime, como presidente do país.

(continua no texto que acompanha a imagem 3)

Artista

BERNARDELLI, Rodolfo

Data

1916

Local

São Paulo, Cemitério da Consolação

Medidas

não disponíveis

Técnica

Bronze

Suporte

Arquitetura e Monumentos

Tema

A Figura Humana Retratos e Caricaturas

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

508 - Mausoléus, tumbas, sepulcros, lápides
508A - Monumentos cívicos à glória de uma personagem
508B - Monumentos funerários

Autor

Maria do Carmo Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *