Monumento funerário a Francesco Oneto

“No “”Monumento funerário a Francesco Oneto”” (1882), o anjo que vela o túmulo é apresentado com sensualismo na modelagem do corpo humano, compondo uma figura sutilmente ambígua e andrógina. Como aponta Franco Sborgi, essa nova forma de representar um imagem já consagrada pela tradição aborda o mistério da morte, por meio de uma “”melancolia toda laica e terrena””, ligada a uma sensibilidade simbolista. O anjo Oneto será o modelo para muitas esculturas cemiteriais do fim do século na Europa e também na América Latina.

Maria do Carmo Couto da Silva
09/08/2010

Bibliografia:

SBORGI, Franco. Introduzione. In: ARDITI, Sergio; MORO, Luigi. La Gipsoteca Giulio Monteverde di Bistagno. Introduzione di Franco Sborgi. Bistagno: Soprintendenza ai beni artistici e storici del Piemonte, 1987. p.17-18.

GIPSOTECA Giulio Monteverde : guida alla collezione di Bistagno / a cura di Patti Uccelli Perelli ; testi di Maria Flora Giubilei … [et al.] . [S.l.] : [s.n.], [2004?],p.23.

Artista

MONTEVERDE, Giulio

Data

1882

Local

Gênova, Palazzo Bianco

Medidas

não informadas

Técnica

Mármore

Suporte

Escultura

Tema

Alegorias e Temas Artísticos Morais e Psicológicos

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

508 - Mausoléus, tumbas, sepulcros, lápides; 724 - ANJOS

Autor

Maria do Carmo Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *