Hércules na Encruzilhada (Hércules Prodicus)

O tema remonta às Horas de Pródicos de Ceos, sofista
do século V a.C., obra quase inteiramente perdida mas cuja
passagem relativa à escolha moral de Hércules entre a
Virtude e o Vício conserva-se nas Memorabilia de
Xenofonte.

Já na pintura italiana da segunda metade do século XV, o
tema comparece, mas ganha sua mais desenvolta expressão com
esta obra-prima de Annibale Carracci, clef de voûte
do programa da stanza do jovem cardeal Odoardo
Farnese, elaborado por Fulvio Orsini.

A obra foi objeto de uma descrição de Giovan Pietro Bellori
(1672) que se conta entre os mais bem sucedidos exemplos de
écfrase da literatura artística do Seiscentos. Dela propõem-
se aqui a tradução de algumas passagens:

“Pródicos Sofista [Pródicos de Ceos, séc. V. a.C.],
desejando instruir os jovens para a virtude, descreveu
alegoricamente o contraste entre a razão e os sentidos,
contraste que atrai e engana sobretudo aquela idade.
Imaginou Hércules já adulto e árbitro de si mesmo, no
momento em que, solicitado pelos prazeres e comovido pela
decência, apareceram-lhe duas mulheres, a Virtude e a
Volúpia, persuadindo-o, cada qual, a segui-la.

Esta invenção foi tão enriquecida pelo pincel de Annibale,
que se pode dizer que ele a arrebatou da poesia e a deu à
pintura. No quadro no centro da abóbada do salão, figurou
Hércules jovem, pensativo e com a mente perturbada, pois,
tendo chegado a uma bifurcação, estaca incerto sobre qual é
a melhor via a seguir. (…) Assim, detém-se suspenso entre
os argumentos das duas mulheres que o convidam. A primeira
indica à direita a áspera e afadigante subida de um monte,
em cujos ameníssimos cimos estendem-se jardim e verduras,
com o Pégaso alado que conduz ao céu; mas a terra a seus pés
é pedregosa e pungente, desprovida de flores e de ervas no
começo da subida (…)

A outra mulher à esquerda com ambas as mãos mostra-lhe a via
fácil e expedita dos prazeres, com músicas, cânticos e jogos
na entrada (…); e voltando lascivamente o rosto para
Hércules parece prometer-lhe a vida fácil e segura,
mostrando-lhe o caminho aplainado e doce. (…) Parece que a
Virtude esteja para vencer, pois ainda que Hércules presta
ouvidos à Volúpia, o olho submete-se à Virtude, e já quase o
ânimo a obedece, surpreendendo-se com sua força”.

Luiz Marques
07/07/2010

Bibliografia
1681 – Giovan Pietro Bellori, Le Vite de` Pittori Scultori e
Architetti Moderni. Ed. E. Borea, Turim, Einuadi, p. 47
1930 – E. Panofsky, Hercules am Scheideweg und andere antike
Bildstoffe in der neueren Kunst. Berlim, Teubner.

Artista

CARRACCI, Annibale

Data

1596c.

Local

Nápoles, Museo e Gallerie Nazionali di Capodimonte

Medidas

167 x 237 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

70 - Hércules; 70F - Hércules na Encruzilhada

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *