Descascadoras de mandioca

A gravura foi concebida como ilustração do livro “Brasil Pitoresco”, de Charles Ribeyrolles e Victor Frond, publicado entre 1859 e 1861.

Os autores percorreram o interior fluminense em 1858, documentando o trabalho dos afrodescendentes nas grandes fazendas de café. As litografias foram realizadas na Maison Lemercier, em Paris, a partir das fotografias de Frond.

Nesta gravura três mulheres foram retratadas diante de um edifício da fazenda. Como em outras ilustrações do álbum (ver Rendeiras*), a imagem foi estruturada diante de um jogo de linhas ortogonais que integram a construção no plano de fundo.

As escravas raspam a mandioca, que foi recolhida da roça em cestos redondos. A produção de farinha de mandioca era uma atividade fundamental para a alimentação de senhores e escravos no período. Outra imagem do livro mostra o processo posterior de fabricação do alimento.

As escravas à direita e à esquerda olham para o espectador, enquanto a personagem central apóia-se sobre um cesto, em uma pose mais delicada. Os corpos inclinados e as expressões dos rostos indicam, de forma sutil, a opressão do trabalho escravo.

A litografia remete a um comentário de Roberto Conduru, acerca de uma obra de Modesto Brocos que tem como tema o engenho de mandioca (1892):

“É um retrato realista das precárias condições de trabalho e vida dos afrodescendentes no Brasil, ao representá-los sentados no chão, a descascar mandioca, quase como continuidades da terra, das raízes, das coisas”.

(continua no texto que acompanha a imagem número 2)

Artista

FROND, V. (fotografia); CHAMPAGNE (litografia)

Data

1858/1861

Local

Rio de Janeiro, Biblioteca Nacional

Medidas

desconhecidas

Técnica

Litografia

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

1546 - A Escravidão Negra; 1548 - O Escravo e a Escravidão; 882 - Brasil Império; 882.1840 - Segundo Reinado

Autor

Maria Antonia Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *