Sarcófago com Selene e o sono de Endímion

Embora ausente de Homero, o mito de Endímion é muito
difundido em Atenas, e Sócrates a ele alude no Fedon
(72c) de Platão sem necessitar explicá-lo a Cebes, seu
interlocutor.

Higino (271) cita-o como um dos exemplos de jovens
particularmente formosos. Em sua Biblioteca, I,7,5,
Pseudo-Heliodoro refere-se a Endímion nesses termos:

“De Cálix e de Hetlios nasce Endímion que tirou os Eólios da
Tessália e fundou Hélide. Dizem alguns que fosse filho de
Zeus. Selene enamorou-se de sua beleza extraordinária. A ele
Zeus concedeu obter o que desejasse e ele escolheu dormir
para sempre, sem morrer e sem envelhecer”.

É aparentemente Selene que insta Zeus a conceder esse desejo
a Endímion. Normalmente, Endímion é representado como um
jovem pastor adormecido e Selene, isto é, a Lua, vendo-o
assim adormecido no Peloponeso (segundo algumas versões) a
ele se uniu e dele teve vários filhos.

O tema de Endímion e dos amores que suscita em Selene é
muito comum nos sarcófagos, já que é evidente a associação
entre o defunto e o herói, eternamente jovem e adormecido.
Vê-se o aqui deitado à direita, enquanto Selene, a figura
dominante ao centro, desce de seu carro para ir ter com ele.
Diversas personagens de difícil identificação assistem à
cena, entre as quais se reconhecem um pastor (sentado à
esquerda), uma divindade fluvial, o auriga, duas Horas e a
deusa Tellus, segundo Zanker.

Nos ângulos superiores esquerdo e direito, veem-se Hélios em
seu carro com os signos do Zodíaco, a mostrar o caráter
cósmico da cena, e novamente Selene em seu carro puxado por
duas vacas brancas.

Não raro, Endímion é amado por Diana, divindade
frequentemente equiparada a Selene. Nos dois casos, o mito é
retomado na Idade Moderna desde ao menos Pinturicchio
(Catedral de Siena) e mantém-se vivo na imaginação dos
artistas até o século XIX.

Luiz Marques
24/05/2011

Bibliografia
2008 – P. Zanker, B. C. Ewald, Vivere con i miti.
L´iconografia dei sarcofagi romani. Turim: Bollati
Boringhieri, p. 25

Artista

Arte Romana

Data

230c.

Local

Roma, Galleria Doria-Pamphilj

Medidas

desconhecidas

Técnica

Mármore

Suporte

Escultura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

12Dia - Diana, Ártemis, Dictina, Selene, Lua; 12Dia1 - O Sono
de Endímion; 432 - Sarcófagos e outros relevos funerários;
1621 - O Cavalo

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *