O Nascimento de Afrodite. Detalhe 2: Zéfiro e uma das Horas

(continuação do texto que acompanha o Detalhe 1)

Percebe-se, assim, a interação emulatória entre imagem e
texto que está em jogo na obra. A operação aqui realizada
por Botticelli é por assim dizer o inverso da écfrase de
Poliziano. Enquanto esta consiste na descrição de uma obra
de arte – os relevos que ornam as portas do palácio de
Afrodite em Chipre – a célebre composição dos Uffizi
consiste em dar a esta descrição concreta existência visual.

É clara a emulação entre o poeta e o pintor, mas tanto um
quanto o outro não procedem sem um modelo comum e uma
precisa intenção e esta é evocar a perdida Afrodite
Anadyomene
de Apeles, mencionada por Plínio, XXXV, 91:

“O divino Augusto dedicou no templo do pai César uma Vênus
emergindo da água, dita Anadyomene, uma obra exaltada em
versos gregos que superaram em valor o próprio quadro, mas
que o fizeram célebre.”

É sabido que a Afrodite Anadyomene foi o quadro mais famoso
do período helenístico e imperial. Apeles, depois de a ter
pintado, inspirando-se em Campaspe e Frina (concubinas de
Alexandre), levou-a ao templo de Asclépio em Cos, quando se
estabeleceu na ilha, como signo de seu próprio ideal
poético.

A exaltação da Vênus Anadyomene de Apeles em epigramas
ecfrásticos continuou até a idade bizantina. Ela remonta a
Leônidas de Taranto, contemporâneo de Apeles, e se prolonga
até Juliano Egípcio, no séc. VI. No caso, Plínio refere-se
aos epigramas de Leônidas de Taranto e de Antipatro de
Sidon, este último traduzido em latim no Epigrama, 106 de
Ausônio. Em 30 a.C., Augusto levou a Vênus Anadyomene de
Apeles para o templo de César, em troca de uma anistia
fiscal concedida à ilha de Cos.

O Nascimento de Vênus de Botticelli é, assim sendo, uma
imaginária exumação de uma obra perdida da Antiguidade. Uma
operação não substancialmente diversa da Calúnia de Apeles
de Botticelli, ela também baseada em diversas écfrases
antigas de uma obra de Apeles.

Ela se insere, segundo Edgar Wind, também em um contexto
filosófico sobre o significado cósmico e metafísico do
“mistério” do nascimento de Afrodite a partir do
desmembramento de Uranos.

A castração de Uranos é do mesmo tipo do desmembramento de
Osiris, de Attis, de Diônísos pelas Bacantes, atos que
exprimem para os teólogos neo-órficos o mesmo mistério: cada
vez que o Um supremo desce na multiplicidade, este ato de
criação é imaginado como uma agonia sacrificial, como se o
Um fosse feito em pedaços e disperso. A criação é portanto
concebida como uma morte cosmogônica mediante a qual a
potência concentrada da divindade é oferecida e espargida:
mas a descida e a difusão da potência divina são seguidas
pela sua ressurreição, quando a multiplicidade recompõe-se
no Um.

Luiz Marques
18/01/2011

Bibliografia:

1893 – A. Warburg, “La ´Nascita di Venere´ e la ´Primavera´
di Sandro Botticelli”. La Rinascita del paganesimo antico.
Florença: La Nuova Italia, 1996
1945 – E.H. Gombrich, “Botticelli´s Mythologies: A Study in
the Neoplatonic Symbolism of His Circle”. Symbolic Images:
Studies in the Art of the Renaissance, Londres, 1972, pp.
31-81.
1952 – Pierre Francastel, “La fête mythologique au
Quattrocento: Expression littéraire et visualisation
plastique”. La réalité figurative. Paris, 1965, pp. 229-252.
1954 – Pierre Francastel, “Un mythe poétique et social du
Quattrocento: La Primavera”. La réalité figurative, Paris,
1965, pp. 253-266.
1958 – Edgar Wind, “La Nascita di Venere”. In, Pagan
Mysteries in the Renaissance. Milão, 1986, PP. 159-174.
1960 – E. Panofsky, Renaissance and Renascences in Western
Art. Uppsala, pp. 191-200.
1975 – J. Shearman, “The Collections of the Younger Brancher
of the Medici”. The Burlington Magazine, cxvii, pp. 12-27.
1989 – R. Lightbown, Sandro Botticelli, Life and Work. New
York: Abbeville Press.
1998 – F. Zöllner, Botticelli. Images of Love and Spring.
Munique, New York: Prestel
2001 – C. Acidini Luchinat, Botticelli. Le allegorie
mitologiche. Milão, Electa.

Artista

BOTTICELLI, Sandro

Data

1485c

Local

Florença, Galleria degli Uffizi

Medidas

172,5 x 278,5 cm

Técnica

Têmpera sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

SÉCULO XV

Index Iconografico

0Ura1 - A Castração de Uranos por Saturno e o Nascimento de
Afrodite; 12Ven - Vênus Afrodite; 10Venz - Zéfiro; 12JupxTem1
- As Horas

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *