Uma alma perturbada

Num bar vazio, um velho e pobre homem com a cabeça apoiada
na mão e no encosto da cadeira – fórmula gestual (ou
Pathosformel) da melancolia -, imerso em si, mostra
um semblante transfigurado por pensamentos sombrios.

Nos anos 1880, os temas da pobreza, da doença, da angústia e
da depressão são, por experiência própria, característicos
do estado de espírito e da obra de Ferdinand Hodler (1853-
1918).

Mas tal estado de espírito não é apenas fruto de
experiências pessoais. Ele reflete uma situação histórica
mais geral. Basta lembrar que igualmente de 1889 é a “Morte
de Ivan Ilitch”, de Tolstoi, que inaugura o nihilismo na
narrativa moderna. Do mesmo ano é a crise de loucura de
Nietzsche, símbolo inaugural do silêncio da filosofia. De
1890 é o suicídio de Van Gogh, símbolo inaugural de uma
trágica incomunicabilidade entre arte e público.

Luiz Marques
29/10/2011

Bibliografia
1982 – S. L. Hirsch, Ferdinand Hodler, Londres: Thames and
Hudson, p. 72

Artista

HODLER, Ferdinand

Data

1889c.

Local

Basileia, Kunstmuseum

Medidas

71,5 x 93,5 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Alegorias e Temas Artísticos Morais e Psicológicos

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

1176 - A Loucura, a Angústia, a Depressão e o Suicídio; 1506
- A Pobreza Urbana, o Mendigo e a Mendicância

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *