O primeiro ataque alemão a gás em Ypres

William Roberts (1895-1980) é um pintor inglês cuja
atividade primeira desenvolveu-se, a partir de 1913, na
frequentação de Roger Fry e do Omega Workshops, um centro de
design fundado por membros do Bloomsbury Group.

Em 1916, Roberts, engajado na Royal Artillery e lutando no
fronte ocidental, candidata-se ao cargo de “artista de
guerra” aberto pelo Canadian War Records Office, sendo então
cedido a este serviço pelas forças armadas inglesas.

Sucessivamente, ele desempenhou funções similares para o
British Ministry of Information, além de consignar sua
experiência da I Grande Guerra em suas, intitulada “4.5
Howitzer Gunner”.

A obra em questão é uma encomenda da Canadian War Records
Office. Seu título original é: “The First German Gas Attack
at Ypres (1918)”. Por seu tema e pela violência expressiva,
ela se insere em uma série de representações do emprego do
gás para fins militares, de autoria, por exemplo, de Henri
de Groux (Bruxelas, 1867-1930) e de Otto Dix, que em 1924
executa Sturmtruppe geht unter Gas vor (Tropa de
assalto avança sob gás), uma das 50 aquatintas de seu álbum
“A Guerra” (Berlim, Deutsches Historiches Museum).

O primeiro ataque com emprego de gás letal, o gás clorídico
asfixiante, em larga escala na I Guerra Mundial tem lugar em
Langemark-Poelkapelle, ao norte de Ypres (Bélgica), em 22 de
abril de 1915, quando o exército alemão descarrega sobre o
inimigo 168 toneladas de clorine inseridas em 5730 bombas.

O fato se repete na chamada Segunda Batalha de Ypres, na
realidade uma série de batalhas ocorridas entre 22 de abril
e 25 de maio de 1915, em que se enfrentaram as tropas da
França, Reino Unido, Austrália e Canadá contra o Reich.

Luiz Marques
01/11/2011

Artista

ROBERTS, William

Data

1918

Local

Ottawa, National Gallery of Canada

Medidas

304,8 x 365,8 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

SÉCULO XX

Index Iconografico

1100Gue - A Guerra e os Horrores da Guerra; 1463 - O Exército
e o Soldado

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *