Monumento a General Osório, Parte 2

Bernardelli realizou dois grandes baixos-relevos em bronze para o Monumento a General Osório, nos quais, por indicação da Comissão responsável, representou episódios importantes da Guerra do Paraguai, em que Osório teve destacada atuação: 24 de maio e Passo da Pátria. Em ambos os trabalhos o general é representado de poncho, indumentária ligada aos costumes do sul do Brasil.

Na opinião de Olavo Bilac o artista criou “duas obras estupendas de arrojo e de originalidade”. Para Suely Weisz, Bernardelli fez os baixos-relevos deste monumento com muita liberdade, que lhe permitiu imaginar uma carga de cavalaria combatendo em um pântano e principalmente por tratar o relevo como um quadro, adotando as leis da perspectiva aérea.

Em relação ao relevo “Passo da Pátria”, o artista procurou representar o terreno pantanoso da região, e o ataque que as tropas aliadas realizaram no início de 1866, quando ocuparam o acampamento paraguaio do Paso de La Pátria, com o objetivo de alcançar a fortaleza de Humaitá.

Este é um aspecto destacado pelo jornalista da Gazeta de Notícias, que escreve: “O reconhecimento do Passo da Pátria com sua paisagem típica e verdadeira, tem horizonte e caracter”.

Neste combate o cenário natural foi de grande importância porque as barreiras naturais ou os esteiros, como nota Doratioto, “eram terrenos alagados, com lodo no fundo, no qual se enraizavam profundamente juncos que alcançavam três metros de altura, e que podiam ser atravessados somente por alguns caminhos, chamados de passos, escondidos pela vegetação e desconhecidos para os aliados”.

O cento da composição é a figura do General que levanta a espada. Segundo Doratioto, nomeado como “comandante-em-terra das forças brasileiras na guerra, Osório foi o primeiro a entrar no território paraguaio, no desembarque do Passo da Pátria.”

Maria do Carmo Couto da Silva
25/02/2011

Bibliografia:
1887 – X. Bellas-Artes. Revista Illustrada, Rio de Janeiro, 31 dez. 1887, p.6.
1890 – O.B. Bernardelli. Gazeta de Notícias, Rio de Janeiro, 27 abr., p.1.
1894 – A. Mendonça. Osório e Bernardelli. O Paiz, Rio de Janeiro, 23 nov., p.1
1894 – GENERAL Osório. Gazeta de Notícias, Rio de Janeiro, 14 nov., p.2.
1949 – C. Vaccani. Rodolpho Bernardelli. Rio de Janeiro: [s.n], pp.128-130.
1996 – S.G. Weisz. Estatuária e Ideologia: monumentos comemorativos de Rodolpho Bernardelli no Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado em História da Arte) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, pp.93-98
2008 – F. Doratioto. General Osório: a espada liberal do Império. São Paulo: Companhia das Letras, pp. 128 e 153.

(continua nos textos que acompanham a imagem 3 e seu detalhe)

Artista

BERNARDELLI, Rodolfo

Data

1894

Local

Rio de Janeiro, Praça XV de Novembro

Medidas

não disponíveis

Técnica

Bronze

Suporte

Arquitetura e Monumentos

Tema

História Medieval Moderna e Contemporânea

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

508A - Monumentos cívicos à glória de uma personagem

Autor

Maria do Carmo Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *