Perseu e a Liberação de Andrômeda

Registro inventarial: inv. 8998

A cena representa o momento em que, já vencedor do monstro marinho (representado no canto inferior direito) que devastava o reino etíope de Cefeu e Cassíope, pais de Andrômeda, Perseu solta os grilhões que a atavam ao rochedo, recebendo em seguida sua mão em casamento. Ambas as figuras, de alta qualidade, pertencem claramente ao repertório da estatuária o que explica seu caráter algo hierático.

A composição, similar à imagem do reverso de uma moeda, um Deultum, do Imperador Macrinus (217-218), deriva provavelmente de uma perdida pintura de Níkias, pintor ateniense da segunda metade do século IV a.C., colaborador de Praxíteles e, segundo Plínio, autor de uma Calipso, uma Io e uma Andrômeda, posto que “habilíssimo pintor de mulheres” (H.N., XXXV, 131: Nicia Atheniense, qui diligentissime mulieres pinxit).

Luiz Marques
21/06/2011

Bibliografia
1994 – S. De Caro, Il Museo Archeologico Nazionale di Napoli. Nápoles: Electa, p. 178

Artista

Arte Romana

Data

69/ 79

Local

Nápoles, Museo Archeologico Nazionale

Medidas

desconhecidas

Técnica

Afresco

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

12JupxDân - Júpiter e Dânae; 12JupxDân1 - Perseu; 12JupxDân2 - Perseu e a Liberação de Andrômeda

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *