Hermes

Registro inventarial: GR. 1849. 6-22. 1 (Bronze 1195)

A escultura foi supostamente achada em Saponara, na
província de Messina, Sicilia. Embora não-alado, o
petasos, um chapéu de viagem com abas largas para
proteger do sol e do vento, é um atributo identificador de
Hermes, deus das viagens, da comunicação e das passagens, e
a estatueta devia trazer na mão direita o kerykeion,
o bastão com as duas serpentes entrelaçadas.

As proporções deste nu têm por modelo não o cânone do assim
chamado Doríforo (lanceiro) de Policleto, mas o mais afilado
cânone de Lisipo, ativo na segunda metade do século IV, com
suas pernas mais longas, o tronco mais delgado e a cabeça
diminuta. Sua musculatura é mais saliente e menos
estrutural. Também o contrapposto mais pronunciado é
típico da escultura helenística, descrevendo um “S” alheio
ao do cânon de Policleto.

Não é clara a função desta estátua. Possivelmente dedicada à
decoração de um jardim, ela pode também ter servido como
oferenda a um templo.

Luiz Marques
27/12/2011

Bibliografia
1997- P. Higgs, in R. Blurton (ed.), The Enduring Image.
Treasures from the British Museum. Catálogo da exposição
Nova Deli e Mumbai, p. 90.

Artista

Anônimo

Data

-200/ 100 a.C.

Local

Londres, British Museum

Medidas

49 cm

Técnica

Bronze

Suporte

Escultura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

12Mer - Hermes Mercúrio

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *