Agar e o Anjo

Registro inventarial: Bequest of Anna Mont, in memory of
Frederick Mont, 2010 (2012.100.1)

A fonte textual é o Gênesis (21,14-19). Após ter dado à luz
um filho de Abraão, Ismael, Agar, sua serva egípcia, é
expulsa para morrer no deserto junto com seu filho. Seu
choro pela sorte do filho, prestes a morrer de sede,
compadece Iahweh e este lhe envia um anjo que lhe indica a
direção de uma fonte.

Fortemente reminiscente dos Tintoretto, pai e filho, em
especial de suas poses, de suas paletas e de seus escorços
audaciosos, Francesco Maffei (1605 – 1660) pinta Agar de
joelhos, em vermelho e prata, com os braços tão escorçados,
que a ponta do dedo da mão direita fura o primeiro plano da
tela.

Seu gesto bem combina com o mímico diálogo com o anjo,
deliciosamente andrógino, que evolui em ritmos de uma coluna
salomônica de luz dourada. Atrás de Agar, na penumbra da
sombra de uma árvore, Ismael dorme, figurado num escorço tão
virtuoso quanto o dos braços de sua mãe.

A obra é das mais tardias do pintor vêneto, que a pinta
talvez ainda em Vicenza, sua cidade natal, ou já na cidade
de Pádua, onde viria a morrer. No Museo di Castello
Sforzesco, em Milão, outra tela de Maffei, de mesmo tema, é
considerada ainda mais tardia.

Luiz Marques
26/12/2012

Artista

MAFFEI, Francesco

Data

1657circa

Local

New York, The Metropolitan Museum of Art

Medidas

106 x 137,2 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

SÉCULO XVII

Index Iconografico

516.25 - Agar e o Anjo

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *