Nacimiento de las Antillas

Esta alegoria ao nascimento das ilhas que conformam as Antilhas, obra do pintor cubano Mariano Carreño, denota a assimilação dos modelos formais da pintura muralista mexicana característicos de sua produção nos anos posteriores a sua experiencia em México, em particular com a obra de David Alfaro Siqueiros. No entanto, esta alegoria possui também algumas das qualidades da produção dos anos iniciais de Carreño em que o artista deixa em evidencia sua admiração pela arte do Renascimento.
A monumentalidade e o tratamento dos volumes na concepção das figuras humanas de mulheres robustas, se contrapõe a incorporação delas no espaço no qual parecem flutuar. A cor da pele terrosa referente ao passado indígena de estas nações, os navios que na distancia se aproximam indicando a chegada dos conquistadores dos “descobridores” provenientes do continente europeia. As ondas que se transmutam numa sorte de panejamento feito a través de curvas que relembram a obra de pitnores como Sandro Botticelli. Nos encontramos perante um novo olhar do passado clássico na representação do continente americano, neste caso de uma de suas partes, como figuras femininas que aparentam chamar a atenção dos navegantes. Uma das figuras olha direitamente ao espectador levantando entre suas mãos um caracol em possível alusão ao mesmo como meio de comunicação dos índios Tainos conhecidos como os primeiros habitantes das Ilhas dispostas entre o mar Caribe e o oceano Atlântico.
A composição esta estruturada a partir de dos grandes planos de cor que se encontram formando a linha do horizonte, as figuras se organizam diminuindo gradualmente suas dimensões de forma a reafirmar a construção de uma paisagem panorâmica. “Nacimiento de las Antillas” é uma obra fundamental para a compreensão da produção de Mario Carreño, quem fora aluno da Academia de San Alejandro em Havana, no seu transito da pintura figurativa a abstração “hard edge” a que se dedicará a partir da próxima década até sua morte, assim como sua ligação durante os anos 40 a temas inspirados no nacionalismo cultural tão cara a vanguarda.

Bibliografia

BLANC, Giulio. Cuba (1900/1950) em SULLIVAN, Edward. Arte Latinoamericano del siglo XX. Madrid: Nerea. 1996. P.92.

Monica Villares Ferrer, Mestre em História da Arte
16/05/2010.

Artista

CARREÑO, Mario

Data

1940

Local

Havana, Museo de Bellas Artes

Medidas

120 x 100 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Alegorias e Temas Artísticos Morais e Psicológicos

Período

O SÉCULO XX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL

Index Iconografico

1208 - Representações Alegóricas dos Continentes.

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *