S. Francisco segundo a visão do Papa Nicolau V

Registro inventarial: MAC 11528

Um dos mais estáticos e tenebrosos noturnos de Francisco de
Zurbarán (1598-1664), esta aparição levitante de Francisco
ao Papa Nicolau V é um dos pontos culminantes da mística
transfiguração do luminismo caravaggesco operada por
Zurbarán ao longo dos anos 1630. A figura colunar esculpida
pelas pregas do feltro espesso que a luz diagonal torna
ainda mais sólidas olha para cima como atraída ela própria
por uma visão arrebatadora. O cordão que cai ao lado do
santo é de uma materialidade alucinante.

Segundo diversas fontes hagiográficas – com destaque para a
Chronica de nuestro seráfico padre San Francisco
(1598) de Luis de Rebolledo, para o Flos sanctorum
(1599) de Pedro de Ribadeneyra e para os Annalis ordinis
minimorum
(1625) de Wadding -, em 1449 o Papa Nicolau V
(1447-1455) teve uma visão do santo na cripta da basílica
franciscana de Assis. Como se lê em Pedro de Ribadeneyra:

Estava en pie derecho (…) tenía los ojos abiertos, como
de persona viva y alzados al cielo moderadamente. Estava
todo el cuerpo sin corrupción alguna (…) tenía las manos
cubiertas con las mangas del hábito delante de los
pechos

O Papa aproximou-se do santo com uma tocha e levantou-lhe o
hábito, descobrindo um de seus pés de cujo estigma jorrava
ainda sangue.

A visão de Nicolau V gozou de grande prestígio na pintura e
na gravura do século XVII, sendo tratado na França por
artistas como Thomas de Leu, Jean Le Clerc, Gérard Douffet e
Laurent de la Hyre. Na Espanha, conforme se lê na Arte de
la Pintura, su antigüedad y grandezas
de Francisco
Pacheco (1641, publicado em 1649), Eugenio Cajés pintou duas
vezes o tema antes de 1614, fornecendo o modelo para
diversas variantes retomadas por outros pintores espanhóis.

Notável no tratamento dispensado ao tema por Zurbarán é seu
caráter radicalmente não-narrativo. O pintor trata a cena
não como um gênero histórico, mas como um drama. Francisco
aparece muito próximo e em absoluta frontalidade diante do
espectador, o qual é colocado na posição do próprio Nicolau
V, o que o induz a reviver a experiência mística do Papa.

Há três versões autógrafas deste tema – conservadas nos
museus de Barcelona, Lyon e Boston – e duas outras versões
de ateliê, uma delas no Monasterio de las Descalzas Reales
de Madri.

Luiz Marques
15/10/2011.

Bibliografia:
1988 – J. M. Serrera, in A. Pérez Sanchez, Zurbarán.
Catálogo da exposição. Madri, Museo del Prado, p. 400.
1991 – J. Sureda, Capolavori dal Museo d´Arte della
Catalogna. Tredici opere dal Romanico al Barocco. Catálogo
da exposição, Roma, Accademia Spagnola di Storia Archeologia
e Belle Arti, p. 47

Artista

ZURBARÁN, Francisco de

Data

1640c.

Local

Barcelona, Museu Nacional d´Art de Catalunya

Medidas

177 x 108 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

SÉCULO XVII

Index Iconografico

806 - Imagens e Ciclos Biográficos de santos; 806FraA -
Francisco de Assis

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *