Máscaras de gás

Henri de Groux (1867-1930), pintor e gravurista além de uma
das mais notáveis figuras do simbolismo belga, mostra uma
estreita afinidade de temperamento com a experiência
catastrófica da guerra, sendo, desde 1914, dos primeiros a
registrar-lhe os horrores em uma série de litografias.

Desde agosto de 1914, a França utilizou, pela primeira vez,
gás como uma arma contra os alemães. Tratava-se, então,
ainda de gás lacrimejante, não fatal e de uso localizado. Em
outubro de 1914, há uma retalização alemã contra as tropas
britânicas, com granadas de fragmentação contendo gás,
embora ainda em quantidades não-letais.

O primeiro ataque com emprego de gás letal, o gás clorídico,
em larga escala na I Guerra Mundial tem lugar em Langemark-
Poelkapelle, ao norte de Ypres, em 22 de abril de 1915,
quando o exército alemão descarrega sobre o inimigo 168
toneladas de clorine inseridas em 5730 bombas.

O uso de máscaras protetores de ambas as partes se
generaliza e, em março de 1916, Jacques-Emile Blanche
registra em seu Diário as impressões de um documentário
visto no cinema:

Aujourd´hui, nous sommes descendus dans ces demeures
troglodytes, où des moines guerriers, des officiers de 50 à
60 ans, de bons messieurs qui ont dit adieu au siècle, font
leur “sale besogne” d´une âme de bénédictin, ingénus,
puérils, méthodiques. (…)

Nous avons vu les masques monstrueux et grotesques, les
scaphandres, les redoutables groins à lunettes que des
hommes aux visages si paternes, si mous, si peu faits pour
la guerre, ajustent avec un soin qu´exige l´insidieux poison
.

“Hoje, descemos nestas moradas trogloditas, onde monges
guerreiros, oficiais de 50 a 60 anos, bons senhores que
disseram adeus ao século, fazem seu ´trabalho sujo´ com uma
alma de beneditino, ingênuos, pueris, metódicos (…)

Vimos as máscaras monstruosas e grotescas, os escafandros,
os temíveis focinhos com óculos que homens de semblantes tão
paternos, tão doces, tão pouco feitos para a guerra, ajustam
com o cuidado exigido pelo insidioso veneno”.

Luiz Marques
29/11/2011

Artista

GROUX, Henri de

Data

1917

Local

Bruxelas, Musée royal de l´Armée et d´Histoire militaire

Medidas

desconhecidas

Técnica

Litografia

Suporte

Pintura

Tema

História Medieval Moderna e Contemporânea

Período

SÉCULO XX

Index Iconografico

1100Gue - A Guerra e os Horrores da Guerra; 1463 - O Exército
e o Soldado

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *