Morte de Leonardo da Vinci

“A cena se passa no Castelo de Amboise, onde Leonardo da
Vinci passou efetivamente seus últimos anos. Conforme rezava
a lenda, Leonardo exala seu último suspiro, em 1519, nos
braços de um consternado François I.

Trata-se de um dos primeiros ensaios do tema da morte
heróica do artista, focado no século XVIII, sobretudo, na
representação das mortes de Rafael, Leonardo da Vinci e
Poussin. A partir notadamente dos anos 1780, com as
composições de François Guillaume Ménageot e Giuseppe Gades,
multiplicam-se as cenas desses artistas representados em
seus leitos de morte, segundo o protótipo da Morte de
Germanicus (1626) de Poussin, motivo arquetípico ao qual o
próprio Poussin retornaria diversas vezes e que se
desdobraria em uma infinidade de variantes até A Morte de
Marco Aurélio de Delacroix, do Musée de Lyon (1843-1845).

A obra foi exposta no Salon de 1781.

Luiz Marques
16/06/2010

Bibliografia

1967 – R. Rosenblum, Transformations in late Eighteenth
Century Art, Princeton, 1967;
1973 – P. Rosenberg, La ´Mort de Germanicus´ de Poussin du
Musée de Minneapolis, Paris, EMN, p. 59.

Artista

MÉNAGEOT, François Guillaume

Data

1718

Local

Amboise, Hôtel de Ville

Medidas

desconhecidas

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Alegorias e Temas Artísticos Morais e Psicológicos

Período

SÉCULO XVIII

Index Iconografico

45C1110I - Agonia e Morte do Artista

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *