Mãe e filha

Nessa fotografia Christiano Júnior utilizou seu recurso habitual de retratar as pessoas em seu estúdio, contra uma espécie de tecido que funcionava como um plano de fundo neutro.

A fotografia difere das fotografias de afrodescendentes frequentemente feitas por Christiano Júnior no Brasil, nas quais mostra as marcas, cicatrizes e deformidades dos corpos, devidas à escravidão.

Destaca-se a indumentária da mãe, de um grafismo luminoso, em contraste com o branco da roupa da menina. O recurso de posicionar a menina em cima de uma cadeira, para que ela alcançasse a altura do ombro da mãe conferiu certa graça e leveza à fotografia.

Manuela Carneiro da Cunha comentou as várias formas de sociabilidade entre os escravos presentes em fotos de Christiano Júnior, importantes formas de resistência, porque:

“…para tornar escravo um homem, cumpre anular todos os seus laços sociais prévios, na tentativa de fazer do senhor o único elo do escravo com o mundo. Daí a imagem padrão que o senhor quer ter do escravo: o da ama de leite negra com a criança branca no colo.”

Nesse sentido, essa fotografia opõe-se à iconografia frequente no período:

“A filha foi empoleirada numa cadeira pelo fotógrafo, preocupado com a composição. Pôs-lhe a mão magra no ombro da mãe, que é belíssima e majestosa, vestida inteiramente à africana. Mãe e filha impõem-se ao fotógrafo, olham tão frontalmente, com tanta dignidade, para quem sucessivamente as olha, – o fotógrafo, e nós, agora, – que o poder que temos, ocultos, sobre quem vemos e não sabe que é visto, parece se inverter”.

Maria Antonia Couto da Silva
21/02/2011.

Bibliografia:
1988 – M. Carneiro da Cunha. “Olhar escravo e ser olhado”. In: P. C. Azevedo, M. Lissovsky (Orgs.). Escravos brasileiros do século XIX na fotografia de Christiano Jr. São Paulo: Ex-Libris, p. xxiii-xxx.

Artista

CHRISTIANO JÚNIOR, José

Data

1865c.

Local

Rio de Janeiro, IPHAN

Medidas

desconhecidas

Técnica

Fotografia

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

1546 - A Escravidão Negra; 1548 - O Escravo e a Escravidão; 1700C1 - Retratos contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *