Separação das Ovelhas e dos Cabritos. Juízo Final

Registro inventarial: Sig. Cim. 15 (Cod. ms. 24)

Esta iluminura do Saltério de Würzburg-Ebrach (fol. 204r)
ilustra a Salmo dos Mortos com uma representação do Juízo
Final.

O Cristo pantocrator, coroado e com os estigmas,
senta-se sobre um trono de mármore policrômico e acolhe com
a mão direita os eleitos, dois deles com cabeças de ovelhas,
alusivas à parábola da Separação das ovelhas e dos cabritos,
em Mateus 25, 31-41. Em um phylacterium, lê-se uma
frase dessa parábola:

Venite benedicti Patris mei
(Vinde, benditos de meu Pai)

Em outro, lê-se:

Nos oves pascue tue Domine
(Nós, ovelhas de tua Páscoa, Senhor)

Um diálogo semelhante ocorre com as figuras à esquerda do
Cristo, com cabeças de cabrito e o texto final da mesma
parábola de Mateus. Outros dois phylacteria
explicitam-na:

Ite maledicti in ignem aeternum
(Ide, malditos, ao fogo eterno)

A que os réprobos respondem:

Heu nobis quia inter haedos deputati sumus
(Ai de nós, pois fomos enviados entre os cabritos)

Tal diálogo dá uma preciosa indicação da existência, em
inícios do século XIII, de tropos ou dramas sacros encenados
na Igreja em certos momentos do calendário litúrgico.

A referida parábola de Mateus é a fonte doutrinária primeira
da parousia, retorno escatológico do Cristo, cuja
figuração precede entre os séculos IV e VII as
representações do Juízo Final propriamente dito. Vejam-se, a
título de exemplo:

1. o tampo do Sarcófago Stroganoff no Metropolitan Museum
http://www.mare.art.br/detalhe.asp?idobra=2388

2. o detalhe central deste Sarcófago
http://www.mare.art.br/detalhe.asp?idobra=3512

3. um mosaico de Sant´Apollinare Nuovo em Ravenna
http://www.mare.art.br/detalhe.asp?idobra=3513

4. o Saltério de Stuttgart, fol. 6v, da Landesbibliothek de
Stuttgart
http://www.mare.art.br/detalhe.asp?idobra=3515

Embaixo, dentro de uma inicial “C” com a forma de um dragão
que vomita a cabeça de um ancião, vêem-se a ressurreição dos
mortos e um anjo que soa a trompa da hora extrema.

Assiste-se, assim, com esta iluminura, a uma engenhosa fusão
entre a tradição páleo-cristã das figurações da parábola da
Separação das ovelhas e dos cabritos e dois elementos
essenciais – a ressurreição dos mortos e o anúncio do anjo –
da iconografia do Juízo Final, que se impunha então por toda
a parte nos programas decorativos das igrejas góticas.

Luiz Marques
22/11/2011

Bibliografia
2001 – M. Zlatohávek, C. Rätsch, C. Müller-Ebeling, Le
Jugement dernier. Paris: La Bibliothèque d´art, p. 53.

Artista

Anônimo

Data

1200c. / 1220c.

Local

Munique, Universitätsbibliothek

Medidas

desconhecidas

Técnica

Iluminura sobre pergaminho

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

OCIDENTE MEDIEVAL

Index Iconografico

688B34 - Os Eleitos e os Réprobos; 606D36 - Separação das
ovelhas e dos cabritos; 690 - Juízo Final

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *