Vênus e Cupido que rouba mel

Uma inscrição latina que se lê no canto superior direito do quadro reporta um passo de um idílio de Teócrito (315c.-250c. a.C.), que pode ser assim traduzido:

“Uma abelha picou o dedo de Cupido, ocupado em roubar mel no oco de uma árvore. É assim que o prazer breve e passageiro que buscamos vale-nos tristeza e dor”.

O poeta relata, em seguida, como Vênus, divertida com o fato, faz seu filho compreender que as penas de amor por ele infligidas aos humanos são muito mais dolorosas.

Segurando o galho de uma macieira, Vênus evoca de modo evidente a figura de Eva. Seu rebuscado chapéu de plumas e seu colar de ouro e pedras preciosas sugerem a figura de uma cortesã que se teria despido para posar como modelo da deusa do amor.

Ao longo de sua carreira, Lucas Cranach, o Velho (1472-1553) retornou inúmeras vezes ao tema de Vênus (38 obras conservadas no Catálogo de Friedländer e Rosenberg), certamente de grande predileção entre sua clientela aristocrática, e ao menos 11 vezes especificamente ao tema teocritiano de Vênus com Cupido roubando mel, de gosto suavemente moralizante.

Luiz Marques
07/12/2010

Bibliografia
1932 – M. J. Friedländer, J. Rosenberg, The Paintings of Lucas Cranach. Edição revista por J. Rosenberg, Londres, 1978, p. 118

Artista

CRANACH, Lucas

Data

1525c.

Local

Londres, National Gallery

Medidas

81,3 x 54,6 cm

Técnica

Óleo sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

12Ven - Vênus Afrodite; 12Ven1 - Vênus e Cupido

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *