Vitória (ou o Gênio da Vitória)

Em sua Vida de Michelangelo (1568), Giorgio Vasari menciona a obra apenas de passagem, com uma interpolação sobre sua própria decoração do Salone dei Cinquecento:

“Em Roma, esboçou oito estátuas e em Florença, cinco; terminou uma Vitória sob a qual havia um prisioneiro, hoje em poder do duque Cosimo, doada que foi por seu sobrinho, Leonardo, à Sua Excelência, que … Continue lendo...

Túmulo dos Imperadores

O Túmulo dos Imperadores (1925), localizado na capela da igreja matriz de Petrópolis, foi encomendando ao escultor Rodolfo Bernardelli pela Baronesa de São Joaquim. A encomendante visava um túmulo que se assemelhasse ao do Duque de Nemours na Chapelle St. Louis, em Dreux, na França.

A obra é composta por um só túmulo, contendo os dois caixões, tendo acima duas … Continue lendo...

Moisés. Detalhe

(continuação do texto que acompanha a imagem principal)

Da carta citada no texto anterior, Forcellino conclui que ao menos a ultimação da obra deve ser datada de 1542.

A segunda mudança entre os desenhos dos Uffizi e de Jacopo Rocchetti e a obra final é que, nos projetos de 1505 e de 1513, Michelangelo entendia propor uma visão de baixo … Continue lendo...

Moisés

Em sua Vida de Michelangelo, Giorgio Vasari escreve uma página memorável acerca da obra:

“Terminou o Moisés, de cinco braças, de mármore, estátua que não terá jamais coisa moderna que lhe possa disputar a beleza, e das antigas pode se dizer o mesmo: sentando-se com gravíssima atitude, pousa um braço sobre as tábuas seguras por uma das mãos, e com … Continue lendo...

Medusa

Em uma inscrição na base, redigida quando da doação da obra ao Museu, em 1731, lê-se:

MEDUSAE IMAGO IN CLYPEIS/ ROMANORUM AD HOSTIUM / TERROREM OLIM INCISA/ NUNC CELEBERRIMI/ STATUARIJ GLORIA SPLENDET/ IN CAPITOLIO/ MUNUS MARCH:/ FRANCISCI BICHI CONS:/ MENSE MARTIJ/ ANNO D./ MDCCXXXI.

“A cabeça da Medusa, outrora colocada como ornamento dos escudos dos romanos para aterrorizar os inimigos, … Continue lendo...

Hermafrodita adormecido

“Registro inventarial: inv. 1087

O culto a Hermafrodita, como símbolo de fecundidade, é de
origem oriental e é documentado também em Chipre.
Referências literárias a seu mito remontam a Aristófanes, a
Platão e a Teofrasto, e prolongam-se em Cícero, Diodoro
Sículo e em Luciano.

Em âmbito iconográfico, o Hermafrodita aparece como uma
figura alada, um Erotes, tal como, por … Continue lendo...

A Beata Ludovica Albertoni

A escultura Beata Ludovica Albertoni é uma das últimas obras de Gian Lorenzo Bernini (1598-1680). Encontra-se sobre o altar da capela lateral dedicada a Sant’Anna, localizada no transepto da Igreja de San Francesco a Ripa, no Trastevere em Roma, onde se encontram os restos mortais da beata.

Ludovica Albertoni (1473-1533) foi uma religiosa nascida de uma nobre família italiana. Casada … Continue lendo...