Hermafrodita adormecido

“Registro inventarial: inv. 1087

O culto a Hermafrodita, como símbolo de fecundidade, é de
origem oriental e é documentado também em Chipre.
Referências literárias a seu mito remontam a Aristófanes, a
Platão e a Teofrasto, e prolongam-se em Cícero, Diodoro
Sículo e em Luciano.

Em âmbito iconográfico, o Hermafrodita aparece como uma
figura alada, um Erotes, tal como, por exemplo, em
um lekythos apuliano de figuras vermelhas do século
IV, conservado no Museu da Rhode Island School of Design
(EUA).

Dentre as diversas fontes textuais antigas ainda
disponíveis, é contudo apenas com Ovídio (Metamorfoses IV,
285-388) que se conserva uma extensa narrativa da fábula.
Hermafrodita, ou Hermaphrditus, era o filho belíssimo de
Hermes e Afrodite, de onde seu nome, formado pela junção de
ambas as divindades:

Mercurio puerum diua Cytereide natum
Naides Idaeis enutriuere sub antris;
Cuius erat facies in qua materque paterque
Cognosci possent; nomen quoque traxit ab illis
.

“”Uma criança que Mercúrio tinha tido da deusa de Citera foi
nutrida pelas Naiades nos antros do monte Ida. Por seus
traços podiam-se reconhecer facilmente sua mãe e seu pai.
Seu nome mesmo a ambos lembrava””.

Ao completar quinze anos, Hermafrodita deixou seu lugar
natal na Frígia e começou a viajar pela Ásia Menor. Um dia,
Salmacis, a ninfa de um lago na Cária, às margens do qual
suas andanças o haviam levado, apaixonou-se por ele. Não
obtendo reciprocidade, ela o convence a despir-se e a
banhar-se no lago.

Tão logo Hermafrodita entrou nas águas, Salmacis agarra-o e
suplica aos deuses que seus dois corpos nunca mais se
separem. Sua prece foi atendida e eis que dos dois corpos
resulta um terceiro em que se unem indissoluvelmente os dois
sexos:

“”Pugnes licet, improbe””, dixit
“”Non tamen effugies; ita di iubeatis et istum
Nulla dies a me nec me deducat ab isto!””
Vota suos habere deos; nam mixta duorum
Corpora iunguntur faciesque inducitur illis
Vna…

…””Luta, malvado””, disse, “”mas não me escaparás; ó deuses,
concedei-me que não venha o dia em que ele se separe de mim
nem eu dele!”” Seus votos obtêm a graça dos deuses; pois seus
dois corpos entrelaçados se confundem e revestem o aspecto
de um único””.

De seu lado, Hermafrodita obteve dos céus que quem quer que
desde então se banhasse naquelas águas perderia a
virilidade. O geógrafo grego Estrabo (58 a.C. – 21/25 d.C.)
ainda se referia a este efeito desvirilizante do lago de
Cária (XIV, 2, 6) e a figura de Hermafrodita foi integrada
no cortejo andrógino dionisíaco.

No livro XXXIV (34,80) do Historia naturalis, Plínio
afirma que Polykles fez o “”nobre Hermafrodita”” (Polykles
Hermaphroditum nobilem fecit
). Trata-se provavelmente de
Polykles o Velho, o bronzista de Argos cujo acme da
atividade situa-se na CII Olimpíada, isto é, entre 372 e
368. Segundo Adriano La Regina (1998), a presente obra do
Museo Nazionale Romano seria uma das seis cópias originadas
de encomendas romanas a partir deste protótipo.

Segundo o que reporta Antonio Corso (1988), outros
estudiosos acreditam, contudo, que o protótipo deste
Hermafrodita adormecido, não em bronze, mas já em mármore, é
uma criação de Polykles, o Jovem, escultor ativo em Atenas e
em Roma e cuja atividade situa-se entre 156 e 153 a.C.

O tema de Hermafrodite goza de grande prestígio na
pintura e na poesia entre o século XVI e o XIX, desde o
“”Hermafrodita e Salmacis”” de Mabuse, de 1510 (Rotterdam,
Museum Boymans), até o quadro de mesmo tema por François-
Joseph Navez (1787-1869) e o poema “”Hermaphroditus”” de
Swinburne, passando pela decoração da Villa di Castello por
Pontormo e o afresco de Annibale Carracci no Palazzo
Farnese.

Luiz Marques
29/10/2011

Bibliografia:
1988 – A. Corso (ed.), Plinio, Storia naturale, edição
bilingue, Turim: Einaudi, p. 205.
1998 – A. La Regina, Museo Nazionale Romano. Palazzo Massimo
alle Terme. Roma: Electa, p. 136.

Artista

Arte romana segundo um original grego

Data

-350a.C. circa ou 156 / 153 a.C. (protótipo grego)

Local

Roma, Museo Nazionale Romano, Palazzo Massimo alle Terme

Medidas

25 x 148 cm

Técnica

mármore de Carrara

Suporte

Escultura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

12Ven10 - Afrodite e Hermes, o Hermafrodita

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *