Estátua de Aulo Metello

Registro inventarial: inv. 2

A obra foi achada em 1566 nos arredores de Perúgia e entra para as coleções de Cosimo I Medici, como atesta uma carta de Vasari a Vincenzo Borghini, de 20/IX/1566:

“Il Duca ha avuto uma statua di bronzo intera che non gli manca niente, d´uno Scipione Minore di braccia incirca in atto di locuzione.

O bronzista, etrusco, representa um homem vestido com uma
toga curta (toga exigua) e praetexta, i.e., uma toga branca com as bordas bordadas em púrpura, endossada pelos principais magistrados nas cerimônias públicas.

Seu calçado apresenta a característica lingueta (lingula) e as corrêias (corrigiae) dos calcei senatorii. Seu estatuto revela-se ainda no anel da mão esquerda, enquanto a direita levanta-se aberta no gesto do silentium manu facere.

Uma inscrição atesta tratar-se de um etrusco, embora vestido já à maneira romana:

aulesi. metelis. ve. vesial. clensi
cen. fleres. tece. sansl. terine
tu ines. Chisvlics

Assim interpretável:

“Para Aule Meteli de Vel e de uma Vesi, este [objeto sagrado] ao deus Tece Padre foi posto pelo ´pago´ de Chiusuli”

A leitura da primeira linha é certa, a das duas seguintes,
incerta. Mas basta para se concluir que se trata de uma
estátua comemorativa de certo Aulo Metello, erigida em sua honra em um santuário e por uma comunidade da zona de Perúgia ou do lago Trasímeno.

Artista

Anônimo

Data

-100/ 80 a.C.

Local

Florença, Museo Archeologico Nazionale

Medidas

179 cm

Técnica

Bronze

Suporte

Escultura

Tema

A Figura Humana Retratos e Caricaturas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

1700B - Retratos Escultura; 1700B1 - Retratos contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *