Santa Cecília

“Santa Cecília”, de Stephano Maderno, uma das mais celebradas estátuas de seu tempo, foi encomendada pelo Cardeal Sfrondato em 1599 para comemorar a descoberta do corpo da Santa durante a reforma da Basílica de Santa Cecília in Trastevere, em Roma.

Segundo a História da Paixão de Santa Cecília, de Antonio Bosio (Roma, 1600), a mártir estava deitada do lado direito, com a cabeça voltada para o chão como se dormisse.

Segundo Pope-Hennessy, o escultor procurou representar a maneira como o corpo da Santa estava disposto quando foi encontrado, mas teve como modelo também uma estátua helenística representando um persa morto. Para Giulio Carlo Argan a figura de Santa Cecília é “fiel como um decalque, devota e comovente na extrema simplicidade.”

Maria do Carmo Couto da Silva
03/08/2010

Bibliografia:
2000 – J. W. Pope-Hennessy. Italian High Renaissance and Baroque Sculpture. London : Phaidon, pp.288 e 532.
2003 – G. C. Argan. História da arte italiana. São Paulo : Cosac e Naify. (Historia da arte italiana, v.3), p.293.

Artista

MADERNO, Stefano

Data

1600

Local

Roma, Santa Cecilia in Trastevere

Medidas

100 cm

Técnica

Mármore

Suporte

Escultura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

SÉCULO XVII

Index Iconografico

10 - Mártires e Hagiografia; 503 - Altares, tabernáculos e retábulos; 806 - Cecília

Autor

Maria do Carmo Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *