Michelangelo ensinando anatomia aos artistas

“Registro inventarial: inv. 8472

Na Vida de Michelangelo (1568), Giorgio Vasari escreve acerca do interesse juvenil do artista pelo estudo da anatomia:

“”Fez para a igreja de Santo Spirito da cidade de Florença um Crucifixo de madeira, posto e mantido na abside do altar-mor, com aprovação do prior, que lhe pôs à disposição alguns cômodos onde, dissecando amiúde cadáveres para estudar anatomia, aperfeiçoou a grande arte do desenho que veio a ter””.

A informação é tributária de Condivi (1553):

“”Teve [Michelangelo] com o dito prior próxima convivência, seja por dele receber muitas cortesias, seja por se prover, graças a ele, de uma sala e de cadáveres para praticar dissecção, o que lhe dava um prazer insuperável””.

O conhecimento da anatomia é considerado uma fase superior da evolução da pintura no esquema histórico da pintura antiga segundo Plínio (XXXV, 68) que, após louvar a pintura de Parrásio, observa criticamente seu domínio menor da anatomia:

Minor tamen videtur sibi comparatus in mediis corporibus exprimendis

“”Parece, porém, inferior, se comparado a si próprio, na representação das partes internas do corpo””.

É verossímil, assim, que a ênfase de Vasari e Condivi sobre a assiduidade de Michelangelo no tocante à dissecção reflita certa vontade de paralelismo com o antigo, pois sobre esta passagem de Condivi incide uma glosa de Tiberio Calcagni que adverte sobre o caráter apenas esporádico de tal prática no artista:

“”Disse ele [Michelangelo] das dissecções que as praticava conforme se lhe apresentasse ocasião””.

Michelangelo retomará tais estudos na segunda metade dos anos 1540 (provavelmente no âmbito de seus estudos para a Pietà de Florença) em colaboração com seu médico e amigo, Realdo Colombo (1520-1559), sendo auxiliado por Daniele da Volterra e, segundo Pascoli [1730/1965], por Vincenzo Danti, que o conhece em 1552 ou 1553, conforme ele próprio o declara em seu Trattato delle Perfette Proporzioni [1567].

Que gozasse na velhice de excepcional prestígio como mestre de anatomia, disciplina central dos estudos artísticos da Accademia del Disegno, fundada em 1563, testemunha-o o quadro atribuído por Roberto Longhi [1928:222] a Bartolomeo Passerotti, intitulado Michelangelo ensinando anatomia (Roma, Galleria Borghese), datável de 1568, do qual se conserva no Louvre este desenho preparatório.

A obra representa o artista disssertando a Sebastiano del Piombo, que lhe anota as palavras, diante de um écorché e rodeado por uma plateia composta de artistas.

Os artistas estão agrupados segundo suas “”nações””:

(a) à esquerda, cinco florentinos: Andrea del Sarto sentado, Bandinelli de costas, Francesco Salviati, Pontormo e Aristotile da Sangallo em diálogo;

(b) ao centro, seis “”romanos””: Rafael, que segura a mão do cadáver; à esquerda, Perin del Vaga, e à direita, Marcantonio Raimondi, Giulio Romano, Polidoro da Caravaggio e Lorenzetto ou Daniele da Volterra, com a estatueta em mãos;

(c) à direita, afastados, cinco venezianos, com Tiziano ao centro a segurar uma estátua, signo talvez de sua autonomia em relação a Michelangelo ou de um menor apego ao estudo direto da anatomia.

Mais de uma dúzia de desenhos de écorchés de Michelangelo, distribuídos, sobretudo, entre Windsor e o Teylers Museum de Haarlem, atestam a prática do artista nesse gênero de desenho de anatomia, desenhos que ele decerto destinava à publicação, no âmbito de um acalentado, mas jamais realizado, tratado de anatomia.

Luiz Marques
12/01/2011

Bibliografia:
1988 – M. Hirst, Michelangelo and his Drawings. New Haven, Londres: Yale Univ. Press e Turim: Einaudi, 1993, p.21
1990 – A. Ghirardi, Bartolomeo Passerotti Pittore (1529-1592). Rimini, Luisè Ed., pp. 40-44
2003 – – J. Elkins, “”Michel-Ange et la forme humaine. Sa connaissance et son utilisation de l´anatomie””. In, C. Rabbi-Bernard (dir.), L´anatomie chez Michel-Ange. Paris, Hermann, 89-112.

Artista

PASSAROTTI, Bartolomeo

Data

1568c.

Local

Paris, musée du Louvre

Medidas

desconhecidas

Técnica

Desenho

Suporte

Pintura

Tema

Alegorias e Temas Artísticos Morais e Psicológicos

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

1111 - O Mundo e o Mito do Artista; 1111A - A educação artística; 1111H - Artistas entre artistas; 1155 - Estudos, lições e a prática da anatomia

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *