Sarcófago de Acilia

Descoberto acidentalmente por lavradores em 1950 em Acilia, a meio caminho entre Roma e Óstia, este fragmentário sarcófago de excepcional qualidade artística, obra provável de importação de um ateliê grego oriental, pertence ao tipo lenos, isto é, possui o formato da cuba elíptica utilizada para o esmagamento da uva, alusivo à simbólica e aos cultos dionisíacos de morte, transfiguração e renascimento, bastante difundidos em Roma durante o século III.

Esculpido em um único bloco de mármore grego com vestígios de douração e de policromia, este gênero de sarcófago destinava-se em geral a acolher um casal de condição senatorial e seus relevos representam os Sete Sábios da Grécia, ao lado do marido, e as nove musas, ao lado da esposa. Em seu estado atual, o sarcófago apresenta 14 figuras a partir das quais foram propostas duas interpretações.

A primeira delas reconhece na última figura à direita, de que se pode ver apenas a barba recobrindo o queixo, o marido; e na figura isolada, a esposa. Entre eles devia se postar, como de praxe, uma figura de Juno Pronuba ou uma figura alegórica da Concordia.

À esquerda do marido, identificável pelo diadema, é o Genius Senatus. As demais figuras representam os Sete Sábios da Grécia (entremeados no segundo plano por outros filósofos), como o demonstram seus atributos, os feixes de rolos de pergaminhos que estão aos pés das figuras da extrema esquerda (não visíveis nesta foto).

No retrato de jovem no canto esquerdo do sarcófago, claramente uma reelaboração de um dos Sete Sábios, Ranuccio Bianchi Bandinelli reconheceu o Imperador Gordiano III, cujo principado estende-se de 238 e 244. Segundo este autor, o sarcófago deve ter sido executado para o pai do imperador, um senador de quem se desconhece a identidade, mas que era
genro e cunhado, respectivamente, de Gordiano I e de Gordiano II. O retrato juvenil de Gordiano III terá sido provavelmente esculpido quando o corpo do jovem imperador foi depositado neste sarcófago, em 244, junto com seus pais. A figura calva que segura um rolo de pergaminho seria talvez seu pedagogo.

Segundo a segunda interpretação proposta, tratar-se-ia da representação de um processus consularis, isto é, uma procissão cerimonial para a entrada em cargo de um Cônsul. Além disso, uma segunda possibilidade de datação ao longo dos anos 270 foi sugerida pelas semelhanças da figura juvenil com Carino, imperador entre 283 e 285.

Luiz Marques
07/06/2011

Artista

Arte romana ou de importação grega

Data

235/ 238

Local

Roma, Museo Nazionale Romano, Palazzo Massimo alle Terme

Medidas

149 cm de altura

Técnica

Mármore

Suporte

Escultura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

122 - Procissões cívico-religiosas; 122D - Procissões de Consagração (Consulares, Senatoriais); 432 - Sarcófagos e outros relevos funerários; 432H - Cenas da Vida Senatorial

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *