Perseu e a Liberação de Andrômeda

Registro inventarial: inv. 1890 n. 1536

A cena dispõe-se em três momentos: à direita, Perseu aproxima-se, voando, levado por sandálias aladas. No centro, o herói, em posição coreográfica, apresta-se a assestar o golpe fatal no monstro marinho, clímax do combate que leva Andrômeda e o grupo de assistentes à esquerda a desviarem o olhar. Neste grupo reconhecem-se os pais da heroína Rei e rainha de um reino etíope: Cefeu, de turbante branco, e Cassíope, com o torso desnudo. À direita, Perseu restitui Andrômeda a seu pai ao som de música e em meio à euforia geral.

Em 1568, Vasari assim descreve a obra na Vida de Piero di Cosimo (1461c. – 1522):

“Pintou Piero para Filippo Strozzi o velho um quadro de figuras pequenas, quando Perseu libera Andrômeda do monstro, com certas figuras belíssimas, hoje na casa do Senhor Sforza Almeni, primeiro cameriere do duque Cosimo, a ele doado por messer Giovanni Battista di Lorenzo Strozzi, sabedor que é de quanto esse senhor deleite-se com pintura e escultura; e ele muito o considera, pois Piero jamais fez mais bela pintura, nem mais bem acabada. Pois não é possível ver orca marinha mais bizarra e caprichosa do que esta que Piero se imaginou, nem mais altiva atitude de Perseu, que a golpeia com a espada. Vê-se aqui o temor e a esperança de Andrômeda, de semblante belíssimo, e no primeiro plano, muitas pessoas com cabeças divinas e vestes estranhas, tocando e cantando, rindo e alegrando-se por ver Andrômeda liberada. A paisagem é belíssima e de um colorido doce e gracioso. Piero executou esta obra com extrema diligência, unindo as cores com máximo de sfumato“.

Foi notado que o comitente da obra não pode ser Filippo Strozzi o velho, morto em 1491, mas seu filho, Filippo Strozzi o jovem (nascido Giambattista), para quem Piero di Cosimo trabalhou, segundo a documentação disponível, entre 1507 e 1510.

Em 1508, Filippo Strozzi (1489-1538) havia-se casado com Clarice di Piero de´ Medici (1493-1528), selando uma aliança com os Medici, então ainda no exílio, que lhe valeria vantagens na Florença pós-1512. Grande mecenas, homenageado por Michelangelo com um punhal de bronze, desenhado em Bolonha em 1507 (hoje perdido), Filippo é o principal responsável pelo término, pela decoração e pela excepcional coleção de antiguidades e obras modernas do Palazzo Strozzi. Seus desentendimentos sucessivos com os Medici levam-no a liderar as tentativas de reimplantar a República em Florença, após o segundo retorno dos Medici em 1530.

Berti pre

Artista

Piero di Cosimo

Data

1513/ 1514c.

Local

Florença, Galleria degli Uffizi

Medidas

70 x 123 cm

Técnica

Óleo sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

12JupxDân - Júpiter e Dânae; 12JupxDân1 - Perseu; 12JupxDân2 - Perseu e a Liberação de Andrômeda

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *