Retrato de Louis-François Bertin de Vaux, l´Aîné

Registro inventarial: inv. R.F. 1071

Assinado: “J. Ingres pinxit 1832”

Emblema da retratística de Ingres, este retrato do
jornalista e escritor Louis-François Bertin de Vaux (1766-
1841), chamado Bertin l´Aîné (para o diferenciar do irmão
homônimo), é igualmente emblemático da história política e
literária da França anti-napoleônica e, a partir de 1830,
orléaniste.

Bertin l´Aîné foi entre 1799 e 1841 diretor (ao lado de
Pierre-Louis Bertin) do influente Journal des Débats,
com tiragem diária de 13 mil exemplares em 1830, referência
ideológica da alta burguesia e um abrigo para escritores
românticos como Chateaubriand e Charles Nodier, que chegou a
dirigi-lo, mas também, ocasionalmente, para Balzac (1844),
Berlioz, Jean Bourdeau (tradutor de Schopenhauer), Victor
Hugo, Eugène Sue e muitos outros.

Como Bertin l´Aîné, Ingres era ele próprio um convicto
orléaniste e é possível que se tenham conhecido
através do pintor Édouard-François Bertin, primogênito do
jornalista e discípulo do grande mestre em finais dos anos
1820. Um anedotário com versões ligeiramente divergentes
narra o pranto de desespero de Ingres em face do inquieto
Bertin, incapaz de posar adequadamente, e a súbita intuição
do pintor quanto à trouvaille da pose, ocorrida ao
testemunhar uma discussão de Bertin com seus filhos.

Seja como for, impressiona sobretudo neste retrato a
intimidade com que Ingres capta a forma assertiva de ser de
Bertin, a instantaneidade da pose, a força animal da massa
de seu torso cujo arcamento tem a prontidão e a tensão
muscular do felino prestes a saltar sobre a presa.

As mãos que seguram o peso do corpo sobre os joelhos lembram
garras de uma ave de rapina, o que bem se coaduna com a
segurança de grande orador sugerida pelo olhar penetrante e
pela expressão conversacional do semblante, que ama o embate
retórico. A boca subitamente pode sorrir, mas é impossível
saber se com bonomia ou sarcasmo. A complexidade psicológica
deste retrato de Bertin equipara-o aos mais inesquecíveis
personagens de Balzac.

O reflexo da janela e da imagem do jornalista no verniz do
braço da cadeira remete obviamente ao prestígio da antiga
retratística flamenga e funciona como uma reivindicação
formular, a bem dizer desnecessária, de virtuosismo e
veracidade.

Luiz Marques
29/01/2012

Bibliografia
1999 – P. Conisbee, in G. Tinterow, P. Conisbee, Portraits
by Ingres. Image of an Epoch. Catálogo da exposição.
New York, The Metropolitan Museum of Art, pp. 300-305.

Artista

INGRES, Jean-Auguste-Dominique.

Data

1832

Local

Paris, musée du Louvre

Medidas

116 x 95 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

A Figura Humana Retratos e Caricaturas

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

1700C - Retratos Pintura; 1700C1 - Retratos contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *