Um ateliê de artista em 1804, chamado O Ateliê de David

Em uma carta ao pintor Isabey, datada de 1806, Jacques-Louis David (1748-1825) menciona cinco artistas que ele prefere, dentre os numerosos que frequentam seu ateliê, e aos quais oferece um jantar em sua casa :

Mon cher Isabey, je rassemble pour demain mercredi, à dîner chez moi, les élèves qui m´ont le plus fait honneur. (…) Ces élèves sont Fabre, Continue lendo...

Retrato de Franz Liszt

Inscrição: “Ingres à madame d´Agoult. Rome, 29 mai”

Em 1833, Franz Liszt (1811-1886) inicia uma ligação amorosa
com Marie Catherine Sophie, viscondessa de Flavigny,
conhecida como Condessa Marie d´Agoult (1805-1876), do nome
de seu marido, Charles Louis Constant d´Agoult. Como
escritora, assinando com o pseudônimo de Daniel Stern, Marie
d´Agoult é autora de vários romances e de uma Histoire de Continue lendo...

Gênio alado ou Vitória

Registro inventarial: inv. 51 Fr.,

Este desenho de uma Vitória atribuído a Battista Franco é com frequência considerado uma derivação (com aposição das asas?) de um desenho de Michelangelo para uma das Vitórias previstas para o sepulcro de Júlio II conforme o primeiro projeto para este sepulcro elaborado pelo artista em 1505. Como sublinha Giorgio Vasari, no exórdio da Vida … Continue lendo...

Esquema da Abóbada da Capela Sistina segundo o primeiro projeto

Localização inventarial: inv. n. 1859-6-25-567

Ao lado de alguns estudos de braços e mãos, este fólio do British Museum documenta o primeiro projeto con poche figure semplicemente, como Michelangelo afirma em sua carta a Giovan Francesco Fattucci, de 27 ou 28 de dezembro de 1523:

Depois, voltando eu a Roma, [Júlio II] não quis mais que eu prosseguisse o Continue lendo...

Descida da Cruz (desenho preparatório 2: figura de homem)

“(continuação do comentário ao desenho preparatório 1)

Registro inventarial: inv. 1511

A partir do século XVII, a “”Deposição”” de Daniele da
Volterra não apenas escapa singularmente ao desfavor em que
caem tantas obras do século XVI marcadas pelo estigma de um
renegado michelangelismo, mas é, ao contrário, eleita como
uma referência obrigatória em qualquer antologia das obras-
primas de Roma … Continue lendo...

Artista

Daniele da Volterra (Daniele Ricciarelli, dito)
Data
1541

Cópia do S. Domingos da Coroação da Virgem de Fra Angelico

Trata-se de uma das diversas cópias que Edgar Degas (1834-
1917) realiza por volta de 1853 do retábulo da “Coroação da
Virgem” de Fra Angelico (1417-1455), conservado no Louvre
(inv. 314) desde 1812.

É frequentemente a forma plástica, os valores da escultura,
que Degas procura na pintura italiana do século XV, antes
ainda de realizar sua primeira estada na Itália … Continue lendo...

As Três Parcas

“Registro inventarial: WAG 1995.326

Segundo a Theogonia de Hesíodo (901), as Parcas e as
Horas são filhas da união de Zeus e Têmis:
 
“”[Zeus] esposou a brilhante Têmis, mãe das Horas – Eunômine
[Disciplina], Diké [Justiça] e Eirene [Paz], a florescente,
que velam sobre os campos dos homens mortais – e das Parcas,
a quem o prudente Zeus concedeu … Continue lendo...

A Virgem com o Menino Jesus

Localização inventarial: 71 F

Mesmo que não se possa associá-lo à Madona da Capela Medici*, esse desenho, com potentes efeitos de relevo e de non-finito, é o que, cronologicamente, mais se aproxima do período de maturação da composição da Madona Medici, desde o momento da encomenda do bloco em 23 de abril de 1521. De resto, seus graus de … Continue lendo...

A Baía

Registro inventarial: D 229

O desenho é assinado e datado de 1947. Trata-se talvez da
baía de Nevin, ao norte do País de Gales, lugar que Oskar
Kokoschka (1886-1980) ama representar em lápis de cor
durante a Guerra.

A obra é típica da evolução de Kokoschka após a II Grande
Guerra em direção a uma pintura ligada aos grandes espaços, … Continue lendo...