Torso do Belvedere (Ajax)

Localização inventarial: Sala delle Muse (SM 26)

Diversas foram as propostas de identificação da personagem representada neste celebérrimo fragmento, sempre em relação com a pele de leão ou de pantera que reveste seu quadril e cai sobre a rocha em que se senta: Hércules, Diôniso, Mársias, Sileno, Filoctete, Polifemo, Prometeu.

Finalmente, uma hipótese avançada por Ortiz e Wünsche grangeia hoje maior consenso. Tratar-se-ia de Ajax meditando o suicídio, segundo o modelo pictórico de Aias maniodes (Ajax furioso) na Tabula Iliaca conservada nos Musei Capitolini, sufragado por outros exemplos: algumas gemas, uma lanterna e o sobretudo o pequeno bronze da coleção George Ortiz*.

Da comparação com estes exemplares e da análise dos furos de apoio do mármore, pode-se deduzir que a estátua compunha-se ainda de outros elementos: um escudo ao lado dos quadris,
uma pequena árvore, um carneiro, sob o pé direito e talvez um bode.

Segundo a tragédia Ajax de Sófocles, após a morte de Aquiles, Ulisses, por astúcia, conseguira obter as armas do grande guerreiro, que de direito caberiam a Ajax, considerado o mais forte e destemido guerreiro grego após Aquiles. Ajax furioso irrompe no acampamento grego para matar seus novos inimigos, mas é enlouquecido por Atena e mata aprisiona e tortura um rebanho de carneiros, julgando serem seus adversários. Passado o delírio, só lhe resta o suicídio para se purgar da desonra.

Ao lado do Apolo do Belvedere, do Laocoonte e da Venus felix, o Torso foi o mais importante modelo da escultura italiana desde finais do século XV e primeira metade do século XVI. A primeira notícia que se tem dele é transmitida por Ciriaco d´Ancona nos anos 1432-1434, quando a obra encontrava-se no palácio do Cardeal Prospero Colonna, nas encostas do Quirinale. Passa nos anos 1480 para as mãos do escultor Andrea Bregno (1418 – 1503), sendo enfim adquirida pelo papa Clemente VII ou Paulo III, entre 1530 e 1536.

Sobre a autoria da obra e sua fortuna crítica, ver os comentários à outra imagem do Torso del Belevedere

Bibliografia
1999 – G. Spinola, Il Museo Pio-Clementino. Città del Vaticano, vol. 2, p. 208

Artista

cópia romana de original grego

Data

-30a.C. circa

Local

Vaticano, Museo Pio Clementino

Medidas

157 cm de alt.

Técnica

Mármore

Suporte

Escultura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

88 - A Tragédia Greco-Romana; 88Aja - Ajax; 70 - Hércules

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *