Panorama da baía do Rio de Janeiro: Morro do Castelo

“Os seis primeiros clichês do livro “”Brasil Pitoresco””, de autoria de Victor Frond e Charles Ribeyrolles, que apresentam panoramas da baía do Rio de Janeiro foram feitos, como outros registros de época, do meio da baía, destacando fortificações, igrejas e conventos. Nessa litografia vemos a região do Morro do Castelo e adjacências.

O panorama é uma forma de representação que expressa o desejo do artista de abarcar o mundo circundante em uma visão para além dos limites da pintura de paisagem tradicional. Um dado interessante é que esses panoramas circularam de maneira independente, e foram vistos separadamente, como quadros, de acordo com a crítica da época. Como observa Ligya Segala, “”o panorama da baía revela-se, na crônica de Ribeyrolles, por uma sutil combinação de sua observação direta e da descrição comentada das imagens feitas por Frond. Esse olhar híbrido, textualmente construído, percorre em círculos a paisagem, seguindo a série de enquadramentos fotográficos””.

Maria Antonia Couto da Silva
10/5/2010

Bibliografia:

RIBEYROLLES, Charles. Brasil Pitoresco. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1980

SEGALA, Lygia. Ensaio das luzes sobre um Brasil Pitoresco: o projeto fotográfico de Victor Frond. 1998. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, p. 196.

Artista

* Selecione um item e clique Pesquisar

Data

1858-1861

Local

Rio de Janeiro, Biblioteca Nacional

Medidas

desconhecidas

Técnica

Litografia

Suporte

Pintura

Tema

Natureza Paisagem e Arcádia

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

1600 - Paisagem; 1602 - Paisagens com arquiteturas e figuras

Autor

Maria Antonia Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *