Histórias de S. Paulo

A igreja de S. Marcello al Corso, pertencente aos Servitas,
remontaria em suas fundações a inícios do século IV,
erguendo-se sobre o catabulum, sede dos correios,
onde, segundo uma tradição não-documentada, o papa Marcelo I
(308-309) teria sido condenado pelo Imperador Maxêncio a
trabalhar. Os mais antigos vestígios arqueológicos da igreja
datam dos anos 380-450.

Reconstruída com forte apoio de Leão X, após o incêndio de
1519, segundo um projeto de Jacopo Sansovino, que inverte
sua orientação, S. Marcello al Corso abriga dez capelas
pertencentes a prestigiosas famílias patrícias romanas. Elas
abrigam obras de importantes artistas ativos em Roma entre
o terceiro e o sétimo decênio do século XVI, tais como Perin
del Vaga, Daniele da Volterra, Jacopo Sansovino (Sepulcro de
Giovanni Michiel), Francesco Salviati, Taddeo e Federico
Zuccari. Como notado pela crítica, S. Marcello al Corso é um
dos espaços de mais fecundo confronto entre o legado de
Rafael e a koiné michelangiana que predomina em Roma
a partir do quarto decênio do século.

A quarta capela à esquerda da nave pertence aos Frangipani,
família cuja influência sobre a história de Roma remonta ao
século XI, quando mais de um de seus membros lideraram o
partido Ghibelino. O programa paulino de sua decoração
gravita em torno da conversão de Saulo, tema do retábulo do
altar, que bem convinha aos Frangipani, já que um de seus
patriarcas do século XI ou XII, certo Benedetto “Cristiano”,
havia-se convertido da religião hebraica à cristã.

Nas paredes laterais, dispõem-se em seis nichos os bustos de
expoentes dos Frangipani: Antonino, morto em 1546, Curzio,
cancelliere do Senado, e Mario, morto em 1569,
cancelliere de Roma, comissário para as antiguidades,
fundador da capela e comitente dos afrescos. Na outra
parede, os bustos de Muzio (morto em 1588) e de seus dois
filhos são dos anos 1630-1640 e de autoria de Alessandro
Algardi (1602-1654).

A decoração pictórica da Capela Frangipani foi confiada a
Taddeo Zuccari (1529-1566) por volta de 1558, mas sua
execução prolonga-se até sua morte, em 1566, sendo concluída
nesse mesmo ano por Federico Zuccari, seu irmão. Vasari
afirma que, tendo decorado a Capela Mattei em S. Maria della
Consolazione em 1556, Taddeo recebe a encomenda de afrescar
esta capela, mas deve interromper o trabalho diversas vezes
e já em 1558 por causa dos trabalhos decorativos para as
exéquias de Carlos V, que detinha o título de Imperador dos
Romanos.

Os afrescos da Capela Frangipani devem ser entendidos no
contexto de dois eventos muito significativos para a
evolução do estilo dos Zuccari. De um lado, o
desaparecimento de Michelangelo em 1564 oferece a ocasião de
uma homenagem ao grande mestre, evidente no retábulo do
altar, pintado a óleo sobre ardósia, que remete à cena
homônima de Michelangelo na Capela Paolina (1541/1545).

De outro lado, o final do Concílio de Trento, em 1563, com
sua nova preceptística centrada no decoro das imagens
religiosas, de que as pinturas dessa capela são uma
demonstração quase teoremática. Como bem nota Macioce, “são
aqui perceptíveis, de fato, os elementos por assim dizer
´típicos´ do gosto da Contrareforma, tais como o ângulo
visual oblíquo, que guia o observador lateralmente na
composição, através da concatenação dinâmica dos gestos nos
personagens e a definição do espaço com arquiteturas em
escorços muito acentuados”.

Conservaram-se numerosos desenhos preparatórios para esses
afrescos.

Luiz Marques
14/10/2010

Bibliografia:
1984 – S. Rossi, G. Castelli, S. Macioce, C. Strinati,
Chiesa di S. Marcello al Corso. In, Oltre Raffaello. Aspetti
della cultura figurativa del cinquecento romano. Roma, pp.
93-123.
1998 – C. Acidini Luchinat, Taddeo Zuccari, Roma, vol. I, p.
67.
s.d. – G. Balass, Taddeo Zuccari´s Decoration for the
Frangipani Chapel in S. Marcello al Corso, Rome.
http://arts.tau.ac.il/departments/images/stories/journals/ar
thistory/Assaph6/08balasspm6.pdf

Artista

ZUCCARI, Taddeo

Data

1558/ 1566 c.

Local

Roma, S. Marcello al Corso

Medidas

desconhecidas

Técnica

Afresco

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

654 - Paulo; 840 - Topografia e Monumentos na Era Cristã;
843.8 - Basílicas, Igrejas, Capelas, Monastérios

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *